O que é IoT?

IoT, Internet of Things ou Internet das Coisas é o jeito como elementos físicos são conectados entre si e com humanos. Isso acontece através de sensores e atuadores inteligentes combinados com máquinas e softwares que transmitem dados por uma rede. É como um sistema nervoso que possibilita a troca de informações entre dois ou mais pontos.

Conecta qualquer coisa. Pode ser de um tênis a uma máquina de lavar roupas, um automóvel e uma estrada, uma pessoa e seu médico. O objetivo da IoT é que os elementos possam estabelecer uma conexão entre eles mesmos para nos fornecer mais informação, produtividade, praticidade, conforto e mais qualidade de vida como um todo.

As coisas do cotidiano ficam inteligentes, através de funções aprimoradas com cruzamento de informações.

A origem do termo IoT se deu no MIT – Massachusetts Institute of Technology, em Boston, em fins dos anos 90. Foi consequência de estudos para identificar produtos com um código eletrônico único no mundo, para fins de registro de bens. E com uso de radiofrequência ou RFID – Radio Frequency Identification – e em rede sem fio ou WSN – Wireless Sensor Network.

Hoje existem mais elementos na IoT do que pessoas no mundo.

E tem a IIoT – Iot industrial, também chamada de quarta onda da revolução industrial ou ainda Indústria 4.0. É a aplicação da tecnologia IoT na indústria. Usam a comunicação máquina a máquina – M2M para obter automação, e com técnicas de inteligência artificial.

 

Tecnologias associadas

A Iot está de um modo ou outro relacionada com outras duas tecnologias:

5G

Se trata da nova geração de transmissão de dados wireless, será responsável por elevar a quarta revolução industrial a novos patamares. É baseada em 3 pilares: baixa latência ou maior velocidade, grande volume de dados e grande número de conexões simultâneas, que é um limitador nas redes atuais.

Blockchain

É uma tecnologia que registra as transações, em um nível de segurança compatível com a disseminação das informações sigilosas. Foi criada para atender aos requisitos do Bitcoin e é considerado de segurança máxima.

Basicamente é um tipo de base de dados distribuída que guarda um registro de transações permanente e à prova de violação. É uma tecnologia segura, pois cada bloco de transações só pode ser anexado ao bloco principal quando ele for preenchido. Isso implica em assegurar que uma transação seja concluída e que ambos os lados forneçam os dados corretos da transação. Além disso, as transações são criptografadas, tornando violação dos dados difícil mesmo com alto poder de computação.

Big Data

Big Data é o termo em TI – Tecnologia da Informação que trata sobre grandes conjuntos de dados que precisam ser processados e armazenados. O Big Data pode ser utilizado para obter insights que dão a oportunidade à corporação de tomar as melhores decisões. Todas as manifestações ocorridas por exemplo das redes sociais às transações corporativas são dados valiosos para as empresas. Essas informações, se coletadas, podem ajudar as empresas a entender melhor o comportamento de seus clientes e até prever possíveis crises.

São considerados cinco definições ou os 5 V’s: Volume, Velocidade, Variedade, Verocidade e valor.

Volume

Diariamente, o volume de troca de dados tais como e-mails, transações bancárias, interações em redes sociais entre outros são exemplos da imensidão das informações circulando continuamente no mundo.

O volume total de dados que circulam na internet é hoje na ordem de centenas de exabytes (1018 bytes) por ano. No futuro próximo esse número será em outra ordem de grandeza.

Velocidade

Empresas precisam de dados atuais sobre seu negócio, ou seja, velocidade. A importância da velocidade é grande porque sistemas precisam ser capaz de analisar os dados em tempo real, embora os dados são analisados somente após serem armazenados, e o tempo gasto para o armazenamento em si são significativos.

Variedade

Se temos um volume enorme de dados, também obtemos a variedade dos mesmos. A quantidade de informações dispersas em redes sociais, tais como no Facebook possuem um vasto e distinto campo de informações sendo ofertadas em público a todo segundo. Seja qual for o assunto, podemos obter pontos de vista diversos sobre o mesmo.

Veracidade

Para colher bons resultados no negócio do Big Data é necessário obter dados verídicos, de acordo com a realidade. Isso significa, de dados que condizem com a realidade daquele momento, pois dados passados não podem ser considerados dados verídicos para o momento em que é analisado. A verificação dos dados coletados para adequação e relevância ao propósito da análise é um ponto chave para se obter dados que agreguem valor ao processo.

Valor

Quanto maior a riqueza de dados, mais importante estar focado para a orientação do negócio. Não é viável realizar todo o processo de Big Data se não se tem questionamentos que ajudem o negócio de modo realístico. É importante estar atento aos custos envolvidos na operação, ao valor agregado de todo esse trabalho desenvolvido, à coleta e armazenamento e análise de todos esses dados.

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial – IA se propõe a elaborar dispositivos que simulem a capacidade humana de raciocinar, perceber, tomar decisões e resolver problemas. Esta área da ciência é impulsionada pelo rápido desenvolvimento da informática e da computação, permitindo que novos elementos sejam rapidamente agregados à IA. Hoje em dia, são várias as aplicações na vida real da IA: jogos, programas de computador, aplicativos de segurança para sistemas informacionais, robótica, dispositivos para reconhecimentos de escrita, reconhecimento de voz, programas de diagnósticos médicos e muito mais. O desenvolvimento da área começou logo após a Segunda Guerra Mundial, com o artigo “Computing Machinery and Intelligence” do matemático inglês Alan Turing.

O principal objetivo dos sistemas de IA, é executar funções que, caso um ser humano fosse executar, seriam consideradas inteligentes. É um conceito amplo, e que recebe tantas definições quanto damos significados diferentes à palavra inteligência. Podemos pensar em algumas características básicas desses sistemas, como

  • Raciocínio ou aplicar regras lógicas a um conjunto de dados disponíveis para chegar a uma conclusão
  • Aprendizagem ou aprender com os erros e acertos de forma que no futuro agirá de maneira mais eficaz
  • Reconhecer padrões, tanto padrões visuais e sensoriais, como também padrões de comportamento
  • Inferência, a capacidade de conseguir aplicar o raciocínio nas situações do nosso cotidiano

A Inteligência Artificial abraçou a ideia de reproduzir faculdades humanas como criatividade, autoaperfeiçoamento e uso da linguagem. Porém, o conceito de inteligência artificial é bastante difícil de se definir. Por essa razão, IA continua sendo uma noção que dispõe de múltiplas interpretações.

Tecnologias de Conexão

As soluções da Radiodados poderão utilizar outras tecnologias de conexão entre o site remoto e Portal, como GSM, wifi, Bluetooth, LoRa, etc. 

Estas serão desenvolvidas conforme a necessidade e interesse do mercado. Em geral as características de cada tecnologia seguem a tabela abaixo:

Tecnologia Cobertura1 Custo da Operadora Custo do hardware Capacidade Velocidade UpLink2 Aplicação
SigFox Nacional Baixo Baixo Baixa Baixa Baixa Voltada para sensores
LoRa Nacional Baixo, maior que Sigfox Baixo, maior que Sigfox Baixo, maior que Sigfox Baixa Baixa Voltada para sensores
GSM 2G Internacional Alto Alto Média Média Média Genérico
GSM 3G 3 Internacional Alto Alto Alta Alta Alta Genérico
GSM 4G 3 Internacional Alto Alto Muito alta Muito alta Muito alta Genérico
GSM 5G 3,4 Internacional Alto Alto Muito alta Muito alta Muito alta Genérico
Wifi Local, dezenas de metros Sem custo se a rede é existente Médio Muito alta Muito alta Muito alta Genérico
Bluetooth Poucos metros Zero Baixo Média Média Média Para uso direto com smartphones e PCs

 

  1. A cobertura depende do local ser atendido por alguma operadora.
  2. Capacidade de enviar dados para o terminal.
  3. As tecnologias 3G a 5G são importantes em ambiente que exigem banda larga, e só serão desenvolvidas em situações de negócio especial.
  4. A tecnologia 5G deverá no futuro ser predominante.